17/04/2009

GERAÇÃO Y

Saída directamente da minha caixa de correio:

What is Generation Y? Hmm, I've always wondered this myself. Now I know.


- The Silent generation, people born before 1946.

- The Baby Boomers, people born between 1946 and 1959.

- Generation X, people born between 1960 and 1979.

- Generation Y, people born between 1980 and 1995

Why do we call the last one generation Y? I did not know, but acartoonist explains it eloquently below...
Learned something new today!

6 comentários:

Chanesco disse...

Minha cara MPS,

Saúde a este regresso!

Será que, em inglês, Y quer dizer "rasca"?
E que nome será dado ao nascidos após 95?
Especulando um pouco com a futurologia, e por uma questão de lógica, seguindo-se a X e Y, talvez geração Z.
Z de zigzagueante, tal como se prevê o futuro da juventude de hoje.

Um Abraço

Meg disse...

Cara MPS,

Já cá estive ontem e saí sorrindo, mas pensando...
É que achei muito curiosa esta caracterização das várias gerações, mas estava longe de imaginar o porquê do Y...
Algum bom humor e ironia são um a ajuda para enfrentarmos a geração ziguezaguente de que fala o nosso amigo Chanesco.
Uma geração Z... gostei.

Bom fim de semana.

Um abraço

MPS disse...

Meu caro Chanesco, como é bom reencontrar o seu humor!

Nunca percebi muito bem a designação das gerações, sobretudo porque vem importada directamente dos EUA... Eu só espero é que a próxima geração não seja "C", de coitada!

Um abraço

MPS disse...

Cara Meg

Está muito bem apanhada, não está?

Um abraço

Isamar disse...

Minha cara MPS
Que o seu regresso à urzeira seja para ficar.Seria muito bom, amiga.
Já tinha lido o post e achara-lhe muita graça. A geração Y em Portugal continua na moda embora outra geração comece a despontar. Será uma geração irresponsável,inculta, inconsequente, infortunada? Talvez, embora eu a pinte com a cor da esperança, a última a morrer.Aguardo melhores dias porque este desgoverno não é um bom augúrio.
Um abraço

MPS disse...

Cara Isabel

Será deformação profissional, mas concordo consigo: sou mais de sentir pena do que de apontar dedos.

Um grande abraço