10/05/2017

PORQUE OS HOMENS SE NOS VÃO



SEMENTEIRA


Recordo a multidão nas ruas e, das janelas
Escancaradas por mãos ávidas de luz,
Vozes a entoar hinos que jamais supus
Ouvir cantar tão livremente e sem cautelas.
Liberdade tornou-se o chão e o devir,
Um caminho de paz, uma estrada aberta
Com cravos rubros de que alguém fez oferta
Aos bravos soldados para os deixarem florir.
Ontem as janelas tinham grades de ferro:
Atrás delas, gente que ousava sonhar
Bebia dor e lágrimas para não falar,
Recusando ceder, rejeitando o medo,
Inventando os hinos que hoje ouvi cantar à
Luz de um dia limpo com o sol a brilhar.



MPS, Abril 2017

Sem comentários: